Contos de Outras Dimensões

Posted in Avatares, Anjos, Guardiães e Seres Espirituais, Contos de Outras Dimensões, Poemas de amor eterno with tags , , , , , , , on 23/01/2013 by Antonio Carlos Teixeira

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Contos de Outras Dimensões” é uma coletânea de textos que falam de amor, paixão e experiências místicas. O autor utiliza narrativas associadas às mais diversas tradições ancestrais e religiosas, divindades, avatares e seres espirituais, lendários e mitológicos.

Em 14 contos, o autor mergulha em mundos paralelos, que se unem e entrecruzam sob diferentes vibrações dimensionais, narrando encontros e reencontros de almas e espíritos e suas incessantes buscas pelo outro ou por si mesmo.

Entremeados por citações a culturas pagãs e xamânicas, os textos celebram divindades, entidades e representações dos panteões celta, grego, nórdico, sumério, hindu, egípcio, afrobrasileiro e nativo-americanos, além de deidades cultuadas por povos vindos de tempos muito, muito distantes, como Árias, Fenícios e Acádios.

Os personagens são seres forjados em arquétipos masculino e feminino, que sob as bençãos de forças universais, cósmicas, elementais, naturais e planetárias, ritualizam o toque, o aroma, o cheiro, a energia sexual, a metamorfose, o beijo e a união, e são envoltos em esferas de purificação regidas pelos cinco elementos (terra, fogo, água, ar e éter) .

Inspirados em experiências sensoriais, oníricas, mentais, espirituais e pessoais, os contos versam sobre vivências inerentes ao ser humano, como testemunhos de fé, contatos extrafísicos, desejos carnais, medo, coragem, dúvidas, força, vitalidade, libertação, renascimento e superação, e vão ao encontro da “re-união” do ser humano com os aspectos divinos da Terra, do Universo e do Cosmos.

À venda no site da Amazon.

Anúncios

Músicas de Outras Dimensões: Dawn Procession, Coyote Oldman

Posted in Músicas de Outras Dimensões with tags , , , , on 23/11/2012 by Antonio Carlos Teixeira

 

 

Do CD “In Medicine River” (1992), Coyote Oldman Records

Fênix de Espíritos Ancestrais

Posted in Contos de Outras Dimensões, Poemas de amor eterno with tags , , , , , on 03/10/2012 by Antonio Carlos Teixeira

Sobre esta noite mística
Em segredo, além da visão mortal
Aquele fogo me guia
E se mostra tão brilhante quanto o sol.

Loreena Mckennitt

 

Sob a luz de Metztil, sussurro o seu nome.

Áquilo escolta meu destino…

minhas asas…

meu corpo…

minha alma.

Recebo a visão de Sirius…

e as bençãos de Sothis.

Plano sobre a Terra.

Venho te buscar…

Capto sua alma.

Desço à dimensão do Segundo Mundo.

Deixo-me levar pela brisa noturna…

Fecho os olhos.

Vejo você.

Acelero meu metabolismo…

aguço meus sentidos…

alerto meu espírito.

Te quero.

Comprimo minhas asas…

Inclino meu corpo.

Desço ainda mais…

mais…

e mais.

Pairo sobre o reino de Danu.

As águas refletem o brilho de Titânia…

e desenham o seu nome.

Ouço o canto das Ninfas…

e o chamado dos Silfos.

Vôo rasante sobre o curso…

e me entrego às vozes dos Elementais.

Invoco a ajuda dos Seres…

e vou em sua direção.

Os segundos passam…

rajadas de mil asteróides.

Sinto a sua presença…

à entrada da Floresta de Teixo.

Não há nada…

além de nós.

Silenciosamente, peregrino…

no caminho de Ollamh Filidh.

A copa se adensa…

o Céu se fecha…

a Lua desaparece.

Sigo meu instinto.

Guiado pelo seu rastro…

Torno-me invisível.

A escuridão…

o silêncio.

Fecho os olhos…

e envergo ainda mais as minhas asas.

Solto meu corpo…

e deixo-me levar pelas forças telúricas.

O Céu retorna…

e o fogo de Hefaísto toma meu espírito.

Minhas asas aceleram…

como a flecha de Chen I.

Levado pelos mistérios do Infinito.

A sua Aura se intensifica.

Vejo sua silhueta…

percebo suas formas.

Uma fogueira.

Meu coração salta…

Sua face é iluminada pelas chamas do Reino das Salamandras.

Seus olhos veem o seu interior.

Apenas labaredas entre mim e você.

O fogo que nos separa é o elemento que nos une.

Fixo seus olhos.

O fogo revitaliza.

Você desperta.

O vento corre…

e as estrelas pulsam.

A terra balança…

e seus olhos me inquirem.

Meu coração acelera…

e a fogueira clama.

Olho para as labaredas…

e vejo a dança cósmica.

A metamorfose se aproxima…

e os Portões do Reino se abrem.

Estendo minhas asas…

e me atiro para o Divino Templo!

Seus olhos se abrem…

e meu corpo desintegra.

Você se levanta….

e acende meu espírito intacto.

Você olha para a fogueira….

louva a Agnayi…

e mergulha ao meu encontro!

O fogo te consome…

mas seu espírito persevera.

Sinto sua alma…

e acalento seu corpo etéreo.

Os braços envolvem os corpos…

o Céu se abre…

e o beijo sela o nosso destino.

O som dos tambores do Tantra…

anuncia a força que emerge do ventre de Uras.

Nossos corpos se entrecruzam…

e um jato de luz nos eleva.

Renascidos…

ancestrais…

eternos.

Parte integrante do livro “Contos de Outras Dimensões”, de Antonio Carlos Teixeira

Músicas de Outras Dimensões: Full Moon Gathering, Medwyn Goodall with Runestone

Posted in Músicas de Outras Dimensões with tags , , , , , , on 30/08/2012 by Antonio Carlos Teixeira

 

 

Do CD “Druid II” (2009)

Vagabundo

Posted in Poetas do Oculto with tags , , , , on 30/07/2012 by Antonio Carlos Teixeira

Este vento veloz, que sopra gelado,

impede-me os passos, me tolhe o caminho,

penetra-me a alma, me traz a saudade,

aumenta-me o medo de estar tão sozinho.

Esta noite tão fria, escura e vazia,

me torna covarde diante da vida.

Estou só, sem lugar, tão distante, sem teto,

procurando encontrar, nestas trevas, guarida.

Esta chuva, que molha os telhados das casas

e o meu corpo tão frágil que treme de frio,

o pranto parece da noite, que chora

por ver-me outra vez, como antes, vadio.

Vagabundo, é certo, eu sou, já não nego.

Mas a gente que passa não deve saber

que esse é o poeta infeliz que agora,

sem amor vagabundo até pode morrer.

Poema do livro “O Flamboyant”, de Carlos Gomes

Veja aqui a versão de “Vagabundo” na voz da cantora Tania Malheiros, com arranjo de Anselmo Ferraz.

Músicas de Outras Dimensões: Silent Voice, Al Gromer Khan

Posted in Músicas de Outras Dimensões with tags , , , , , , on 08/04/2012 by Antonio Carlos Teixeira

Do CD “Kamasutra Experience” (1999)

Se Me Esqueceres

Posted in Poemas de amor eterno with tags , , , on 04/04/2012 by Antonio Carlos Teixeira

Quero que saibas

uma coisa.

Sabes como é:

se olho

a lua de cristal, o ramo vermelho

do lento outono à minha janela,

se toco

junto do lume

a impalpável cinza

ou o enrugado corpo da lenha,

tudo me leva para ti,

como se tudo o que existe,

aromas, luz, metais,

fosse pequenos barcos que navegam

até às tuas ilhas que me esperam.

Mas agora,

se pouco a pouco me deixas de amar

deixarei de te amar pouco a pouco.

Se de súbito

me esqueceres

não me procures,

porque já te terei esquecido.

Se julgas que é vasto e louco

o vento de bandeiras que passa pela minha vida

e te resolves

a deixar-me na margem

do coração em que tenho raízes,

pensa

que nesse dia,

a essa hora

levantarei os braços

e as minhas raízes sairão

em busca de outra terra.

Porém

se todos os dias,

a toda a hora,

te sentes destinada a mim

com doçura implacável,

se todos os dias uma flor

uma flor te sobe aos lábios à minha procura,

ai meu amor, ai minha amada,

em mim todo esse fogo se repete,

em mim nada se apaga nem se esquece,

o meu amor alimenta-se do teu amor,

e enquanto viveres estará nos teus braços

sem sair dos meus.

Pablo Neruda